Na ilha do FOGO

Há um mês atrás estávamos numa ilha, a acordar todos os dias ao lado de um vulcão, mais precisamente na sua cratera. O projeto ENCONTROS acontecia numa escola improvisada que era para não existir. A comunidade de Chã das Caldeiras da ilha do Fogo depois da última erupção reclamou a existência de uma escola como quem exige um serviço de primeira necessidade. Como o espaço da garagem transformada em sala de aula era extremamente pequeno e com pouca luz, quando chegou a altura de pintar os diários de vida, as crianças correram para o muro do campo da bola. No muro de lava todos se surpreenderam com o poder de um pincel e da cor em forma de tinta. Foram momentos deliciosamente caóticos e felizes! Sábi, sábi Dja Fogo!

Leave a Reply